O que é gamificação?

Gamificação é a aplicação de elementos e mecânicas de design de jogos em outros contextos, que não são jogos eletrônicos.

Esta ideia já é utilizado em várias áreas distintas, como por exemplo:

  • em estratégias de marketing, para engajamento do público-alvo nas campanhas;
  • em ambientes empresariais, para motivar os funcionários a fazerem um bom trabalho;
  • em desafios de impacto social, para conseguir a participação de mais pessoas.

Por que aplicar o conceito na educação?

Atualmente existe um grande problema de desmotivação nos alunos de ensino fundamental e médio. Os professores possuem dificuldades em controlar suas turmas, e muitas vezes lidar com alunos indisciplinados.

Este é um problema antigo e complexo, que tem relação com o próprio contexto sociocultural do Brasil.

Mas apesar deste problema ser algo antigo, hoje temos um agravante, que é a quantidade de entretenimento que temos a disposição dos jovens, competindo com os livros e atividades escolares pela atenção dos alunos.

Os jovens estão acostumados com muito mais estímulos no seu dia-a-dia, e quando chegam na escola, acabam ficando entediados..

Temos muito o que aprender com os games sobre motivação

Os games sabem motivar!

Com certeza temos muito o que aprender com os games sobre motivação.

Os jogos conseguem manter os jogadores concentrados em uma atividade durante horas, apenas para vencer um amigo, ultrapassar desafios e descobrir o fim de uma história.

Mas estudar é um trabalho duro, diferente dos jogos, ou não?

Na nossa cultura, quase sempre associamos trabalho duro com algo difícil, que requer muito esforço, que é chato de fazer, e que somos obrigados a fazer – seja para crescermos profissionalmente, para alcançarmos expectativas de outras pessoas ou para passar de ano na escola.

Associamos o trabalho duro com algo que nos estressa, que nos tira de perto do que gostamos de fazer, de nossos amigos, e que vem com muita crítica e medo de falhar. Nós também demoramos para saber (ou nunca sabemos) o resultado dos nossos esforços, por isso raramente ficamos satisfeitos com este trabalho.

Mas, será que realmente trabalho duro é só isto?

Os jogadores muitas vezes passam horas formulando estratégias, e depois passam mais centenas de horas derrotando inimigos, coletando itens, e até negociando com outros jogadores. Tarefas que exigem muita concentração, dedicação e inteligência.

Os games podem dar muito mais trabalho do que estudar, mas a diferença é que eles optampelo vídeo-game, porque ele dá mais sentido para suas atitudes (através de uma série de mecanismos que veremos adiante).

Exemplos de características

Abaixo, listamos algumas características comuns em sistemas gamificados, que são úteis para engajar nossos alunos.

Feedback constante

O feedback constante sobre as atividades realizadas pelo aluno são importantes para dar a noção de progresso sobre o que ele está fazendo, e principalmente, para dar uma orientação para onde ele deve seguir.

Isto é uma caracterísitca muito importante no processo de aprendizagem, e que algumas vezes não é muito bem atendida, pois quando o estudante está realizando algum exercício sozinho (em casa, por exemplo), ele não sabe se está acertando as questões ou se está no caminho certo da resolução dos problemas.

Desafios

Nos games, geralmente os desafios estão associados a um propósito épico, como derrotar um inimigo e salvar o mundo. Na educação isto não acontece. Os alunos apenas veem os desafios, mas não conseguem enxergar um real motivo para superá-los.

Por isso, é importante ligar as atividades acadêmicas com algo do “mundo real”, que os alunos já conheçam, e assim, os desafios irão estimular os alunos a tomarem uma ação e superá-los.

Estabelecer desafios traz ótimos resultados, pois os jogos diminuem nosso medo do fracasso, o que aumenta as chances da pessoa agir e obter sucesso.

Competição

Você não precisa estimular a competição apenas de forma direta, elegendo sempre um vencedor a cada atividade. O simples fato de parabenizar as 5 melhores notas da turma em uma prova, por exemplo, já promove um certo nível de competição de uma maneira sadia.

Recompensas

As recompensas são uma das coisas mais importantes do processo. Elas funcionarão como espécie de feedback para que o usuário saiba que está fazendo a coisa certa, e também irá estimular os alunos para as próximas atividades.

As recompensas podem vir em vários formatos, como pontos, medalhas, objetos colecionáveis ou reconhecimento. Elas podem estar pré-estabelecidas antes da realização de determinado desafio, ou pode ser concedida com algum fator de aleatoriedade (como quando compramos um pacote de salgadinhos sem saber qual figurinha vem dentro).